Polícia Federal faz operação em Blumenau contra fraudes no INSS

Operação Sangrando combate irregularidades na concessão de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez

A Polícia Federal e a Secretaria da Previdência deflagraram a Operação Sangrando, que combate concessões irregulares de auxílio-doença e de aposentadoria por invalidez em cidades de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.

Ao todo, 44 policiais federais e dois servidores da Inteligência Previdenciária cumprem 11 mandados Judiciais nas cidades de Blumenau, Cruz Alta (RS) e Tupanciretã (RS). São 10 mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão temporária contra um médico perito lotado em Blumenau.

Ao menos quatro policiais chegaram às 6h20 à agência da Previdência Social em Blumenau e saíram antes das 10h. Todas as perícias do dia tiveram de ser desmarcadas. As demais atividades do INSS em Blumenau estão ocorrendo normalmente.

“Eu estava esperando o horário para ser atendido quando uma viatura chegou e desceram quatro policiais. Depois veio outro carro e mais três pessoas apareceram, duas com farda”, relata o auxiliar administrativo Fábio Gelien, que terá de voltar outro dia para realizar a consulta, antes agendada para às 7h desta quinta-feira.

Perícia do INSS

As investigações, iniciadas em 2017, levaram à identificação de um perito médico previdenciário, lotado na agência da Previdência Social de Blumenau, que realizava atendimentos a pessoas específicas fora da agenda oficial.

A reportagem apurou que o médico já foi detido e está sendo levado para Itajaí. O nome dele não foi divulgado até o momento.

Em ação combinada com esses pretensos beneficiários, concessões de benefícios que eram feitas com a inserção de dados falsos no sistema da Previdência.

Segundo a PF, muitos desses falsos beneficiários mantinham algum tipo de inter-relacionamento, sendo que, ao menos, 16 pessoas pertencem a um mesmo grupo familiar. Além dos mandados judiciais, na operação foi decretada pela Justiça Federal a suspensão do exercício da função pública do médico, além do sequestro de todos os seus bens, com o fim de garantir a reparação dos danos já causados aos cofres públicos – calculado em quase R$ 3,5 milhões.

Bianca Bertoli

Também esta sendo realizada a interrupção dos pagamentos dos benefícios previdenciários fraudulentos, descobertos no curso da investigação. Os envolvidos serão indiciados pelos crimes de estelionato previdenciário, corrupção ativa e passiva, inserção de dados falsos no sistema da Previdência e associação criminosa.

O nome da operação “Sangrando” é uma conotação ao prejuízo causado aos cofres públicos, que sangram com esse tipo de fraude

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: